Telmisartan em gatos com hipertensão sistémica

31 May 2021 – News

Telmisartan em gatos com hipertensão sistémica

Em gatos idosos, a hipertensão sistémica arterial é uma causa importante de morbilidade. A investigação aqui descrita procurou avaliar a segurança e eficácia da administração de uma solução oral de telmisartan na diminuição da pressão arterial sistólica (PAS) em gatos com hipertensão sistémica. Sabe-se que fármacos como o telmisartan são usados em medicina humana devido ao seu efeito cardioprotetor e antihipertensivo.

Este estudo incluiu 221 gatos que foram agrupados em quatro subpopulações: doença renal crónica (DRC), hipertiroidismo, DRC e hipertiroidismo ou hipertensão idiopática. Durante 28 dias, administrou-se uma solução de 4 mg/ml a 142 gatos e um placebo, visualmente idêntico, aos restantes 79 animais. Nos primeiros 14 dias, a dose foi 1.5 mg/kg a cada 12 horas, mas posteriormente alterou-se para 2 mg/kg SID.

De forma geral, o tratamento com telmisartan resultou num decréscimo persistente da pressão arterial sistólica (aproximadamente 23 mmHg no décimo quarto dia de tratamento). Em 52.1% dos gatos deste grupo, a PAS desceu abaixo dos 150 mmHg, ou no mínimo 15% do valor base. Curiosamente, também se verificou uma redução de aproximadamente 7 mmHg em 19% dos indivíduos a quem foi administrado placebo – algumas explicações possíveis podem ler-se no artigo original.

O telmisartan parece ser uma alternativa valiosa para o tratamento de gatos com hipertensão sistémica. Quando administrado na dose considerada nesta investigação é bem tolerado por gatos geriátricos e com DRC (estádios IRIS 1 a 3). É importante referir que os critérios de admissão desta investigação não incluíram, por exemplo, gatos com azotemia renal severa.

Coleman, AE, Brown, SA, Traas, AM, Bryson, L, Zimmering, T, Zimmerman, A. Safety and efficacy of orally administered telmisartan for the treatment of systemic hypertension in cats: Results of a double‐blind, placebo‐controlled, randomized clinical trial. J Vet Intern Med. 2019; 33: 478– 488. https://doi.org/10.1111/jvim.15429