Inquérito Veterinário sobre a utilização de um novo procedimento de compressão física para o tratamento de Síndrome de Má-Adaptação Neonatal em Poldros

21 March 2022 – News

Inquérito Veterinário sobre a utilização de um novo procedimento de compressão física para o tratamento de Síndrome de Má-Adaptação Neonatal em Poldros

Comparados com outras espécies, os cavalos nascem com cérebros mais funcionais e desenvolvidos. Teoriza-se que esta característica faça parte de um mecanismo evolutivo para assegurar a sobrevivência de presas na natureza. Nas espécies equinas, a transição de inconsciência fetal in utero para consciência extrauterina após o parto é essencial para a sobrevivência do neonato. A manutenção do estado inconsciente in utero é assegurada através da combinação de fatores como o calor e a estimulação táctil “acolchoada”, mas também pela presença de vários compostos com efeitos neuro-inibitórios. Assim, é assegurado que o poldro permanece num estado adormecido durante a gestação, protegendo a égua dos seus movimentos.

Nas primeiras horas após o nascimento, o poldro tem que realizar certos comportamentos em tempos específicos; sendo levantar-se, andar e mamar os mais importantes. O Síndrome de Má-Adaptação Neonatal (SMN) é caracterizado pela incapacidade de realizar estes comportamentos – os poldros demonstram atitudes anormais como, por exemplo, perceção reduzida do ambiente que os rodeia e incapacidade de encontrar o úbere. Como tal, o SMN pode ter como consequência a ingestão de quantidades insuficientes de colostro ou leite, o que pode pôr em risco a vida do poldro. No passado, acreditava-se que esta síndrome era o resultado de momentos de hipoxia prolongada durante o parto, mas estudos recentes demonstram que existe persistência de compostos neuro inibitórios no pós-parto destes poldros, não ocorrendo completamente a transição de consciência de in utero para o ambiente extrauterino. O diagnóstico da SMN é feito através da observação destes comportamentos.

Em 2012, um método de compressão física com uma corda foi descrito para a contenção de poldros saudáveis. Este método foi desenvolvido tendo em conta que, quando agarrados firmemente, os poldros respondem com um estado de sonolência e imobilidade e, uma vez retirada a pressão, rapidamente retomam o estado de alerta. Pouco tempo depois, começaram a aparecer relatos de resolução de sinais clínicos em poldros com SMN, após a aplicação de 20 minutos de pressão.

O objetivo deste artigo é determinar se a aplicação deste procedimento de pressão física, em poldros neonatos com SMN, potencia a sua recuperação através da aceleração do retorno ao estado normal de consciência. Foi recolhida informação de 195 poldros, todos com comportamentos anormais característicos de SMN.

Segundo o estudo, poldros que foram submetidos a 20 minutos de pressão, tiveram taxas de recuperação maiores e mais rápidas comparados com poldros tratados convencionalmente. A maioria recuperou 24h após o procedimento. Pensa-se que esta compressão torácica reinicia a função cerebral cortical simulando a pressão torácica na passagem no canal durante parto. Teoriza-se, portanto, que esta pressão tem um papel importante na transição de neuro-inibição para neuro-ativação, alterando o estado de consciência do poldro após o parto. Para concluir, este procedimento pode promover uma recuperação mais rápida de poldros com SMN, pois promove um estado de consciência normal no pós-parto, evitando assim, em alguns casos, a referência para ambiente hospitalar, ao mesmo tempo que reduz os custos e o tempo de tratamento. Em certos casos com restrições financeiras ou ausência de recursos pode mesmo evitar a eutanásia.

 

Aleman, M., Weich, K. M. and Madigan, J. E. (2017) ‘Survey of Veterinarians Using a Novel Physical Compression Squeeze Procedure in the Management of Neonatal Maladjustment Syndrome in Foals’, Animals, 7(9)

DOI: 10.3390/ani7090069