Fixação percutânea com pins de fratura da epífise tibial em cães esqueleticamente imaturos: 25 casos (2016-2019)

25 October 2021 – News

Fixação percutânea com pins de fratura da epífise tibial em cães esqueleticamente imaturos: 25 casos (2016-2019)

O objetivo deste estudo foi descrever a experiência clínica na aplicação de pins para fixação de fratura epifisária percutânea da tíbia utilizando uma técnica orientada por fluoroscopia (TAPP) para o tratamento de fraturas-avulsão da tuberosidade da tíbia (TTAF).

Esta é uma análise retrospetiva que visou reavaliar uma série de registos médicos de cães esqueleticamente imaturos (n=25). A associação entre o tipo de agulha (lisa ou SP; perfil de fio negativo ou NTP), ângulo de inserção da agulha, tipo de avulsão, idade e raça com outras variáveis foi avaliada estatisticamente. O acompanhamento a longo prazo foi realizado por examinação direta, radiografias, questionários e vídeos.
A idade, peso e tempo operatório médios foram 6,2 meses, 9,6 kg e 21 minutos, respetivamente.

Não houve grandes complicações entre os 19 SP e os 6 NTP e nenhum dos pins se partiu. As taxas de incidência de seromas e de desmite do tendão patelar foram mais elevadas nos casos em que foram usados pins SP (11/19; 16/19) do que naqueles onde foram utilizados pins NTP (0/6; 2/6) (p = 0,02; 0,03).

Os ângulos médios de cruzamento horizontal dos pins, para casos sem e com desmite, foram de 40 o e 26 o, respetivamente (p = 0,047). Foram necessários explantes em 5 dos 19 casos com utilização de SP e em 0 dos 6 com NTP. O ângulo médio do plateau da tíbia (TPA) mudou significativamente das radiografias iniciais (25,6 graus) para as de acompanhamento (18,8 graus) (p = 0,0002). Os resultados a longo prazo, obtidos após uma média de 19,9 meses, foram excelentes em todos os casos.

Por fim, os autores concluíram que a utilização de agulhas de fixação percutânea na epífise tibial podem ser boas opções para o tratamento da TTAF. A colocação de pins divergentes e a utilização de agulhas do tipo NTP podem reduzir complicações. O ângulo do plateau da tíbia deve ser monitorizado até se atingir maturidade esquelética. É expectável que os resultados a longo prazo após o procedimento TAPP possam vir a ser excelentes.

Os autores do artigo declararam que não existiram conflitos de interesses na elaboração do mesmo.

von Pfeil DJF, Megliolia S, Malek S, Rochat M, Glassman M. Tibial Apophyseal Percutaneous Pinning in Skeletally Immature Dogs: 25 Cases (2016-2019). Vet Comp Orthop Traumatol. 2021 Mar;34(2):144-152. doi: 10.1055/s-0040-1719091. Epub 2020 Nov 19. PMID: 33212512.